Estimulando Mentes Criativas!

Autismo: Extrato de Cannabis Adaptado Melhora Tratamento

Pesquisadores brasileiros revelam que um tratamento personalizado com cannabis pode trazer benefícios significativos para pacientes com autismo.

Prepare-se para uma notícia que pode mudar o jogo no tratamento do autismo. Um estudo brasileiro recente trouxe evidências animadoras sobre o uso de extrato de cannabis. Então, vamos mergulhar nos detalhes!


O Estudo e Seus Resultados

Primeiramente, pesquisadores de várias universidades brasileiras, incluindo a Universidade de Brasília (UnB) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), conduziram um estudo com 20 pacientes autistas. Eles usaram extratos de cannabis produzidos no Brasil e ajustaram as dosagens com base na resposta individual ao tratamento.


A Importância da Personalização

Porém, o que realmente chamou a atenção foi a importância da personalização do tratamento. Leandro Ramires, co-autor do estudo e diretor médico-científico da Associação Brasileira de Pacientes de Cannabis Medicinal (AMA+ME), destaca que a eficácia do tratamento aumenta quando ele é personalizado.


Autismo e Cannabis: O Que Dizem os Especialistas?

Entretanto, vale lembrar que o uso de cannabis para tratar o autismo ainda é um tema de debate. No entanto, este estudo mostrou que dosagens diárias ajustadas de canabidiol (CBD) e tetraidrocanabinol (THC) podem trazer benefícios significativos.


Os Benefícios Observados

Além disso, os pacientes ou seus cuidadores responderam a questionários sobre os sintomas e a qualidade de vida. A maioria dos pacientes mostrou melhorias em sintomas como insônia, agressividade e déficit de atenção. Portanto, isso também refletiu na melhora da qualidade de vida dos pacientes e de seus familiares.


Conclusão: Um Novo Horizonte para o Tratamento do Autismo

Em resumo, este estudo abre novas portas para o tratamento do autismo, mostrando que uma abordagem personalizada pode ser mais eficaz. Renato Malcher-Lopes, coordenador científico do projeto, aponta que essa abordagem “da vida real” pode trazer benefícios amplos para pacientes com TEA e suas famílias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *