Estimulando Mentes Criativas!

Após ‘teste’ de dois dias, escola nega matrícula de criança autista

Em Sorocaba, São Paulo, a busca de Bárbara Fernanda Daré por uma educação adequada para sua filha, Clara Antonela Daré, de 9 anos, portadora de Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), se revelou uma jornada repleta de obstáculos e desapontamentos, após a negativa de uma escola particular. Procurando uma alternativa à escola municipal onde Clara estava matriculada, Bárbara se deparou com uma situação desafiadora ao visitar um colégio particular no bairro Santa Terezinha.

Durante um “teste” de dois dias, proposto pela escola para avaliar a adaptação de Clara, a realidade da inclusão educacional para crianças autistas no Brasil foi posta à prova. Apesar das qualidades evidentes de Clara, como sua fluência em inglês e natureza amorosa, a escola, após a breve experiência, decidiu não aceitar sua matrícula. A justificativa apresentada foi a falta de estrutura para atender às necessidades psicopedagógicas de Clara, conforme relatado em uma mensagem enviada à mãe.

Bárbara, em sua incansável busca por um ensino digno para sua filha, enfrenta também desafios na escola municipal atual de Clara. Ela relata que, apesar das recomendações médicas, a escola recusa-se a adaptar o conteúdo educacional, mesmo diante dos relatórios que indicam um atraso no aprendizado de Clara.

O que diz a lei sobre a Negativa da Escola?

Diante desse cenário, Sandra Regina Flório, presidente da Comissão de Direito da Pessoa com Deficiência da OAB Sorocaba, enfatiza a ilegalidade da ação da escola particular. Ela relembra que, conforme a Lei Brasileira de Inclusão (Lei 13.146/2015) e a Lei Berenice Piana (Lei 12.764/2012), todas as instituições de ensino são obrigadas a aceitar alunos, independentemente de suas deficiências. Sandra questiona a capacidade da escola de avaliar adequadamente as necessidades de Clara em tão pouco tempo e destaca a importância de um plano educacional individualizado, desenvolvido em colaboração com a equipe multidisciplinar do aluno, profissionais da escola e a família.

Em resposta às questões levantadas, a escola particular declarou que não houve um processo formal de matrícula, mas apenas um período de vivência. Quanto às reclamações sobre a escola municipal, a Prefeitura de Sorocaba informou que Clara está acompanhando o conteúdo regular e recebendo apoio adicional em aulas no contraturno, na Sala de Recursos Multifuncionais, seguindo a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva.

A história de Clara e Bárbara reflete as complexidades e desafios enfrentados por famílias de crianças com TEA no sistema educacional brasileiro. Ela destaca a necessidade de maior compreensão, recursos e apoio para garantir uma educação verdadeiramente inclusiva e adaptada às necessidades individuais de cada criança.

A Crop Art oferece a solução

Incorporar os materiais adaptados da Crop Art no plano educacional de Clara poderia potencialmente oferecer um caminho mais adequado e efetivo para a sua alfabetização e desenvolvimento cognitivo. Esta abordagem personalizada e criativa poderia endereçar muitas das barreiras de aprendizagem que ela enfrenta, proporcionando uma experiência educacional mais inclusiva e enriquecedora.

Fomento da Autonomia e da Confiança:

  • Utilizando os materiais da Crop Art, as crianças podem experimentar um senso de autonomia e autoconfiança em seu processo de aprendizagem. Isso é vital para crianças com desafios cognitivos, pois ajuda a construir a autoestima e a motivação para aprender.

Estrutura e Rotina Flexíveis:

  • Crianças com TEA e TDAH prosperam em ambientes com estrutura e rotina claras. Os materiais da Crop Art podem ser adaptados para criar um ambiente de aprendizado estruturado, ao mesmo tempo que permitem a flexibilidade necessária para acomodar as variações no foco e interesse da criança.

Conheça todas as nossas soluções, clicando aqui: www.cropart.com.br

Segundo a lei todas as escolas devem estar preparadas para receber estes alunos, dito isto se você é professor ou trabalha em uma escola que precisa se adaptar, entre em contato conosco: contato@cropart.com.br ou pelo whatsapp: (81) 99893-7782. Estamos à disposição e já atendemos diversas Prefeituras e Escolas Particulares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *